Prefeitura notifica a TCCC para atender os usuários do transporte coletivo

A entrega das notificações foi feita por Hamilton Cardoso, da Agência de Regulação do Município, Rafael Silva e Vilson Cruz, da Secretaria de Governo, ao diretor da TCCC, Roberto Jacomelli.

A Prefeitura de Maringá entregou à Transportes Coletivos Cidade Canção (TCCC) duas notificações, na manhã de segunda-feira (8). Uma das notificações solicita que a empresa mantenha o percentual mínimo de 30% da frota regular de ônibus à disposição da população conforme determina a legislação que regulamenta movimentos grevistas em serviços essenciais.

A outra notificação solicita que a TCCC apresente documentos comprovando sua capacidade econômica e financeira de operar e atender com qualidade às necessidades dos usuários do transporte público.

“Estamos procurando a via do diálogo porque queremos o melhor para a população e a TCCC, como concessionária dos serviços públicos, deve querer o mesmo. Esperamos que a empresa atenda rapidamente nossa solicitação, colocando pelo menos 30% de ônibus nas ruas e que, rapidamente, volte aos 100% da frota, o que é fundamental neste momento de pandemia”, explica Marcos Cordiolli, secretário de Inovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação da Prefeitura.

O diretor da TCCC alega que o dinheiro da empresa acabou e que tentou dialogar e convencer motoristas a voltarem ao trabalho, enquanto negocia com a Prefeitura. Jacomelli disse que esteve no começo da manhã no pátio da empresa, para uma conversa com os motoristas em greve e com os sindicalistas. No entanto, afirma que seus pedidos não foram atendidos e que já recorreu a banco e ao governo do Paraná para solucionar questões financeiras da empresa.

Coletiva de Imprensa

 Também na manhã de segunda-feira, a Prefeitura realizou uma coletiva de imprensa. O prefeito Ulisses Maia não pode participar porque viajou para Curitiba, para uma reunião com o governador Ratinho Junior.

Participaram da coletiva Marcos Cordiolli, Hamilton Cardoso, Rafael Silva; o secretário da Fazenda, Orlando Chiqueto; o Procurador Geral da Proge, Douglas Galvão; e o Secretário de Gestão de Pessoas, Clóvis Melo.

A equipe da Prefeitura respondeu a diversos questionamentos da imprensa e deixou clara a posição do município em relação à greve e a situação de dificuldades da TCCC.

Para a Prefeitura, uma empresa que presta um serviço de longa duração e essencial, como a concessionária dos transportes coletivos, deve ter uma gestão financeira adequada e não pode se colocar em posição de dificuldades que comprometa o atendimento à população.

“Trata-se de uma situação excepcional. A greve e o pagamento são responsabilidades da TCCC com trabalhadores. Estamos sendo diplomáticos ao notificar a empresa e procurar entender seu modelo de gestão para analisarmos. O que queremos é que a empresa atenda o que o contrato de concessão e o que a legislação determinam”, explica Marcos Cordiolli. Douglas Galvão complementa que a TCCC deveria ter saúde financeira mesmo durante a pandemia.

Fonte: Secretaria de Comunicação – Foto: Mileny Melo/Siacom

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *