Trabalhadores do comércio terão reajuste de 10,5% em Maringá

Acréscimo salarial retroativo ao mês de junho e definições de jornada de trabalho para este fim de ano foram definidos em convenção coletiva entre sindicatos; novo piso da categoria deve movimentar a economia local 

Trabalhadores do comércio terão reajuste de 10,5% em Maringá
Superintendente do Sivamar, advogada Lisley M.M. Silva; presidente do Sincomar, Moacir Morais; presidente do Sivamar, Dercílio Constantino e o presidente da Federação dos Empregados no Comércio do Estado do Paraná – Fecep, Leocides Fornazza, durante a reunião de assinatura da nova convenção coletiva dos comerciários de Maringá e região
Depois de quatro meses de muita negociação, o Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maringá e Região (Sivamar) e o Sindicato dos Empregados no Comércio de Maringá (Sincomar) chegaram a um acordo. Na manhã da segunda-feira (11), as entidades de classe assinaram convenção coletiva com reajuste salarial de 10,5%.

A medida estabelece o acréscimo aos três pisos salariais da categoria. Para quem já estava registrado antes da convenção, por exemplo, o salário sobe de R$1.495,00 para R$1.652,00. Já para os iniciantes no mercado de trabalho, sem experiência comprovada, o valor passou de R$1.336,00 para R$1.476,00, e, por fim, o piso dos empregados comissionados que estava em R$1.557,00 foi para R$1.720,00. A decisão alcança mais de 12 mil comerciários em Maringá, além de outras 16 cidades da região.

Por ser retroativo ao mês de junho, os empresários terão o prazo de 45 dias para acertar a diferença de valores apurados na aplicação do reajuste salarial, considerando a data base de 1o de junho de 2021. Os novos pisos salariais, entre outras decisões, têm validade até 31 de maio de 2022, já que a convenção tem vigência de um ano.

Para o diretor-presidente do Sincomar, Moacir Paulo de Moraes, o reajuste representa uma conquista em meio ao difícil contexto econômico que se arrastou para este ano, devido à pandemia. “Demoramos para definir os acordos por causa do aumento dos preços, principalmente na alimentação e combustível, que provocou redução no poder de compra. Queríamos conseguir um ganho real para os empregados do comércio e, nesse sentido, considero que foi uma boa negociação, afinal atingimos um percentual acima da inflação”, explicou.

O presidente do Sivamar, Dercílio Constantino, concorda que a negociação foi difícil no começo devido às oscilações financeiras no País, mas foi possível ser concluída com um acordo benéfico tanto para os trabalhadores quanto para os empresários. “A inflação fez com que o reajuste atingisse o maior percentual dos últimos anos, e esse acréscimo salarial deve ser injetado no próprio comércio, movimentando a economia. Isso porque geralmente os empregados aproveitam o recurso para comprar roupas, calçados, material escolar, móveis, eletrodomésticos, entre outros”.

Jornada de trabalho

A convenção coletiva também estabeleceu acordo em relação aos horários de funcionamento do comércio. Nos dois primeiros sábados de cada mês, por exemplo, continua valendo a abertura das lojas até às 18 horas com todos os funcionários, ou fica permitido abrir até esse horário nos quatro sábados, mas com escala de revezamento entre os empregados. Somente em novembro será acrescentado mais um sábado (no dia 20 ou 27, a definir) com jornada de trabalho até às 18 horas para a realização da promoção Black Friday, totalizando três sábados no mês.

Quanto ao período natalino, fica autorizada a jornada de trabalho até às 20 horas nos dias 9 e 10 de dezembro, já do dia 13 a 23 o comércio pode ficar aberto até às 22 horas. Além disso, nos dias 24 e 31 e em três sábados (4, 11 e 18) a jornada de trabalho será encerrada às 18 horas. E no domingo do dia 19 o comércio também poderá abrir das 13h às 19 horas.

Do total de 79 cláusulas da convenção coletiva, vale ainda destacar que continua a exigência para o comércio tomar os cuidados devidos em relação à Gripe A, sendo também reforçada a continuidade das medidas preventivas contra o Coronavírus, como disponibilizar álcool em gel, evitar aglomeração em ambiente sem ventilação, no banheiro oferecer sabonete e toalha de papel para secar as mãos, entre outros.

Fonte: Jornalista Graziela Cavalaro/AaZ Magazine – Fotos: Divulgação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *