Cacinor sugere ao Governo do PR rigor na fiscalização de festas clandestinas

Fiscalização flagrou festa com cerca de 80 pessoas em uma rua no Jardim Monções, em Maringá (PR)

Ciente de todos os perigos que o País vive diante da pandemia da Covid-19 e buscando auxiliar com alternativas para a retomada econômica dos setores do comércio e empresarial, a Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Norte e Noroeste do Paraná (Cacinor), tem procurado sugerir alternativas ao Governo do Estado para que seja possível controlar os números de positivados especialmente na região.

O esforço deve ser coletivo, envolvendo todos os setores da sociedade, e não apenas punindo quem atua no comércio e nas empresas. “Pedimos ao governador Ratinho Jr. mais rigor na fiscalização das festas particulares e da aglomeração de pessoas clandestinamente, o que tende a aumentar os casos de Covid-19”, diz Rafael Canali, presidente da Cacinor.

Sempre em diálogo com as associações comerciais e empresariais regionais, a Cacinor tem sugerido ampliação de horários de atendimentos para as empresas, de maneira responsável. “Seguindo as medidas sanitárias recomendadas, o comércio e as empresas podem funcionar. Aos poucos, vamos notando decretos mais flexíveis no Estado, esse deve ser o caminho”, afirma Canali.

Em um manifesto recente, a coordenadoria pede ainda ao Governo do Estado campanhas de conscientização efetiva para que os paranaenses entendam a real gravidade dos fatos envolvendo a pandemia. “O plano de vacinação precisa, também, ser divulgado de uma maneira mais clara, para que ninguém que já tenha o direito à vacina perca sua chance de se imunizar”, comenta.

Representatividade

 Ainda sobre esse diálogo mais aproximado entre Cacinor e Governo do Paraná, foi positivo o resultado de uma reunião online realizada em abril com o secretário chefe da Casa Civil, Guto Silva, que deverá, ainda neste mês, voltar a conversar com a coordenadoria e também com presidentes das associações comerciais e empresariais de toda a região.

Na oportunidade, uma carta de intenções da Cacinor foi oficialmente entregue ao secretário, e o objetivo é que as demandas das regiões Norte e Noroeste sejam atendidas pelo Governo do Paraná. “Também sou comerciante, empresário, e conheço bem o trabalho sério das associações”, disse Guto Silva.

Fonte: Wilame Prado/Assessoria de Imprensa – Foto: Mileny Melo/PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *