Engenium Park recebe três novas startups

O Engenium Park oferece espaço físico e comunidade digital para desenvolver os projetos de inovação
Apresentação de novas startups na sede do Sinduscon, em Maringá

Três novas startups passam a integrar o Engenium Park, ambiente de inovação do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon/PR-Noroeste) viabilizado em parceria com a Associação de Engenheiros e Arquitetos de Maringá (AEAM) e com apoio do Sebrae.

A iniciativa, que atualmente reúne cinco construtechs – startups da construção civil – busca fomentar a cultura da inovação em toda a cadeia produtiva e o apoiar o surgimento de empresas no setor.

O Engenium Park oferece espaço físico e comunidade digital para desenvolver os projetos de inovação, agenda de eventos pautada em empreendedorismo, parcerias com empresas, entre outros atrativos para os interessados em se conectar com o ecossistema de inovação com foco na construção civil.

Novos times

Entre as novas startups do Engenium Park está a MESTR-e, Mestre de Obras Eletrônico, focada na automação e redução do desperdício em obras. À frente estão os sócios Marcia Turrisi, André Sevilha e Everton dos Santos. O desejo de automatizar o canteiro de obras com as técnicas da indústria 4.0 surgiu em 2018, mas o projeto saiu do papel em 2020, no início da pandemia, com o aumento da demanda por trabalhos remotos e automação. A startup vai realizar os testes de validação inicial da solução na Construtora WEGG.

“Maringá é um polo de inovação, e a proposta da Engenium Park é vanguardista. Esperamos que o MESTR-e possa contribuir para que a região se sobressaia tanto nacionalmente quanto internacionalmente como uma das mais inovadoras na indústria da construção”, detalha a engenheira civil e CEO, Marcia Turissi.

A startup Archy.me, um marketplace de arquitetura que conecta clientes de cidades pequenas a profissionais recém-formados, também acaba de integrar o portfólio de startups apoiadas pelo Engenium Park. A ideia nasceu há cerca de dois anos e se concretizou em março de 2021.

“Identifiquei, nos meus 13 anos de trabalho, regiões sem acesso a profissionais da arquitetura, bem como a dificuldade de recém-formados conseguirem começar suas carreiras. A intenção de entrar para este HUB é aproveitar ao máximo as mentorias para me auxiliar no desenvolvimento da ideia, além de ampliar o network e estabelecer parcerias estratégicas com a construção civil”, frisa o arquiteto e fundador da Archy.me, Amauri Berton.

A terceira startup que passa a fazer parte do Engenium Park é a Gallileo Concrete Lab, focada na inovação em concreto e estruturas sustentáveis. A startup desenvolve tecnologia para produção de elementos pré-fabricados em concreto que viabiliza um novo conceito de edificações: sustentáveis e com potencial de utilizar até 70% menos material em comparação às edificações tradicionais.

“O ambiente e a estrutura do Engenium Park têm nos ajudado a vencer lacunas no desenvolvimento da nossa tecnologia e do modelo de negócio. Por meio das mentorias, conseguimos estruturar nosso projeto e ajuda na busca por pessoas qualificadas para compor nosso time técnico, além da visibilidade e conexões relevantes proporcionadas pela participação de eventos viabilizados pelo HUB. Além disso, a integração com outras startups nos permite crescimento e apoio mútuo para evolução do ecossistema de construtechs regional”, destaca o engenheiro civil e fundador, Renato OIiveira.

Além das três startups recém-chegadas, o Engenium abriga a Quem Contrato, que desenvolve um aplicativo de intermediação de profissionais e usuário final, e a InZoom, focada na compatibilização de projetos complementares.

Processo seletivo

A estratégia adotada para prospecção e captação de startups no Engenium Park é de fluxo contínuo. Esta alternativa tem sido um diferencial importante para identificar as dores e necessidades da construção civil, segundo a consultora em Design de Serviços e gestora executiva do Engenium Park, Aline Cruz: “Diferente de outros HUBs que utilizam o formato edital para atração de ciclos de aceleração ou incubação, optamos pelo formato fluxo contínuo, em que os interessados em iniciar uma startup ou construtechs, que possuem negócios rodando e precisam de ajuda para crescer, aplicam projetos via preenchimento de formulário simplificado no site www.engeniumpark.com.br.

Se a ideia tiver aderência aos critérios de seleção, o candidato passará por entrevista e seguirá as etapas de avaliação, com apresentação de pitch, podendo ser aprovado ou não, para ingressar no ‘Programa de Desenvolvimento de Negócios’. O foco é fortalecer e ampliar a criação e atuação de construtechs, à medida que se resolvem as necessidades reais da construção civil”, finaliza.

Engenium Park reúne portfólio diversificado de soluções para o setor da construção civil:

1) Quem Contrato: aplicativo de intermediação de profissionais e usuário final
2) InZoom: compatibilização de projetos complementares
3) Archy.me: markteplace de profissionais de arquitetura com foco em cidades pequenas
4) Gallileo: inovação em concreto e estruturas sustentáveis
5) MESTR-e: OIT para automação e redução do desperdício em obras

Para saber mais sobre os requisitos do processo seletivo para integrar o ‘Programa de Desenvolvimento de Negócios’ do Engenium Park, acesse o www.engeniumpark.com.br

Fonte: Sinduscon/PR – Noroeste – Fotos: Divulgação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *