Pesquisa revela tendências de consumo no mercado imobiliário de Maringá

Pesquisa revela tendências de consumo no mercado imobiliário de MaringáO Sinduscon-PR/Noroeste e o Sebrae/PR apresentaram na terça-feira (7), a Pesquisa Quantitativa para Avaliação do Mercado Imobiliário, realizada pela Brain Inteligência Estratégica. O estudo revela as demandas dos consumidores maringaenses e tem como objetivo apoiar as empresas do setor nos próximos lançamentos.

Para a pesquisa, foram 401 entrevistados entre 18 de outubro e 6 de novembro. Do total, 55% disseram ter intenção de realizar compra, sendo que a renda daqueles com maior intenção na aquisição de um imóvel (59%) supera a faixa de R$ 7.939,01. Com relação ao tempo de concretização do negócio, a maioria (65%) disse que espera comprar em até 24 meses. Neste caso, também os entrevistados com renda acima de R$ 7.939,01 (70%) são aqueles com mais chance de finalizar a compra.

Para 95% dos entrevistados, o interesse é por imóveis residenciais, sendo a casa o tipo mais desejado (51%). Segundo Fabio Araújo, da Brain Inteligência Estratégica, mesmo entre os consumidores que desejem uma casa, o apartamento é o tipo escolhido. “As casas acabam custando mais pela qualidade procurada, então o consumidor acaba optando pelo mercado vertical”, comenta.

O imóvel desejado tem como características três dormitórios (59%); um banheiro (60%); uma suíte (82%) e duas vagas de garagem (60%). A metragem ideal seria acima de 80 metros quadrados para 58% dos entrevistados, com um tíquete médio de até R$ 290 mil. E sobre os bairros de preferência, aparecem em sequência a Zona 7 (27%), Jardim Alvorada (19%), Zona 3 (16%) e Centro (15%).

Os aspectos que influenciam as intenções de compras envolvem sair do aluguel, investir, morar em uma residência maior, casar, morar sozinho, questões profissionais, entre outros. Nestes casos, a renda de 70% dos consumidores varia entre R$ 2.424,01 e R$ 4.246,00.

Araújo destaca que as empresas do setor devem aprimorar as estratégias de captação de clientes pela internet, isso porque a pesquisa mostrou que 61% dos entrevistados buscam imóveis por meio de sites. Sobre os canais de comunicação, os on-line também são os preferidos, sendo a rede social mais utilizada o WhatsApp (95%), seguida pelo Instagram (68%) e Facebook (64%).

O presidente do Sinduscon/PR-Noroeste, Rogério Yabiku, ressalta a necessidade de compreender o mercado neste momento de retomada. “Vamos entrar em 2022 após um ano cheio de incertezas, portanto, é importante entender o que os maringaenses querem. Os lançamentos estão acontecendo e é importante apoiar nossos associados com estudos do mercado imobiliário”.

Yabiku diz ainda que as características do mercado local inspiram boas perspectivas para o próximo ano. “O maringaense é investidor. E nosso mercado é diferenciado, sendo influenciado por fatores como qualidade de vida, renda per capita, urbanização, planejamento, entre outros, o que levam ao metro quadrado mais caro do Sul entre as cidades do interior”, observa.

Cenário atual

Dos consumidores entrevistados, 87% não adquiriram imóveis nos últimos 12 meses, sendo que entre os que compraram (13%), o tipo de imóvel adquirido foi o residencial, com média de preço de R$ 328.923,00.

O estudo mostrou ainda que 66% dos imóveis na cidade são horizontais, sendo que 60% são próprios. Sobre o grupo que paga aluguel, o valor médio é de R$1.081,00.

Fonte: Giovana Campanha/Matéria Comunicação
Foto: Divulgação/Sinduscon-PR/Noroeste.