UEM recebe doação de smartphones destinados a Projeto de Inclusão Digital

Aparelhos serão disponibilizados à formação acadêmica dos graduandos

 A Universidade Estadual de Maringá (UEM), recebeu da Receita Federal (RF), 450 smartphones provindos de apreensões em operações de combate ao contrabando.

Os aparelhos, com 64 giga bytes de memória, serão incorporados ao Projeto de Inclusão Digital da UEM e disponibilizados para alunos carentes no intuito de contribuir para a formação acadêmica e acesso às aulas remotas que poderão ser ofertadas nos cursos de graduação, após deliberação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP), que analisa o assunto com base no relatório final do Grupo de Trabalho instituído pela Portaria 186/2020-GRE.

“Os celulares vêm somar com a ação do governo do Estado, por meio da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), que nos disponibilizará acesso à internet banda larga para 5.000 alunos, permitindo ao graduando acompanhar as aulas e desenvolver atividades”, explica o reitor da UEM, Júlio César Damasceno.

Segundo o vice-reitor, Ricardo Dias Silva, um dos responsáveis pelo Projeto de Inclusão Digital, a Seti ainda está definindo a melhor forma de disponibilizar banda larga aos alunos que necessitam do serviço, ampliando as formas de acesso da comunidade universitária à internet.

Esse acesso ocorre hoje, via rede da UEM, mas também por meio do Eduroan (education roaming), que permite a conexão a mais de 2.600 pontos de internet no Brasil, e da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Os aparelhos serão disponibilizados aos estudantes na forma de empréstimo por meio da Biblioteca Central.

TECNOLOGIA ALIADA À EDUCAÇÃO
Além dos smartphones, a UEM estuda a aquisição de mais 200 tablets com recursos próprios e por meio do Núcleo de Educação a Distância da Universidade (Nead). Professores e alunos que ainda não dominam as plataformas Moodle, Google Classroom e Google Hangouts, utilizados em aulas remotas e atividades assíncronas, estão se capacitando para que possam fazer melhor uso dessas ferramentas.

 Dentre os vários cursos já ofertados, os docentes puderam agregar instruções técnicas e pedagógicas no curso de Ambientação na Plataforma Moodle e também através do Projeto Ideias, da Universidade Virtual do Paraná (UVP), do qual a UEM participa. Além disso, o Nead, por meio do seu portal, tem ofertado diversos cursos de capacitação e treinamento, contemplando recursos e ferramentas tecnológicas e plataformas digitais, como: Letramento Digital na Formação de Professores: EaD em foco; Docência Online: Repensando o Educar por Meio das Metodologias Ativas; Tutorial sobre gravação de videoaulas em casa; Reuniões Virtuais; Plataformas digitais gratuitas e metodologias ativas. “Para complementar estas possibilidades de capacitação, seis minicursos serão ofertados no I Seminário Internacional de Cultura Digital e Educação (I SICDE), que ocorrerá nos dias 27 e 31 de julho por meio do portal do Nead”, explica sua diretora Josimayre Novelli.

Fonte: Jornalista Camila Cantoia Dorna/ASC/UEM – Foto: Divulgação/ASC/UEM

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *