Amusep e UEM definem sequência do trabalho do Projeto Raios-X de Oportunidades

Amusep e UEM definem sequência do trabalho do Projeto Raios-X de OportunidadesVisitar as 30 prefeituras da área de abrangência da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense para consolidar a estruturação dos dados regionais, mapear os setores produtivos prioritários e formular os indicadores, que vão sinalizar o ritmo da retomada do desenvolvimento no território da Amusep. Esses são os próximos passos do Projeto “Raios-X de Oportunidades”. A definição da sequência do trabalho ocorreu durante reunião mensal dos prefeitos, realizada na sexta-feira (4), à tarde, na sede da entidade, em Maringá (foto acima).

Mais uma iniciativa da parceria entre a Amusep e a Universidade Estadual de Maringá – UEM, o Raios-X começou a ser desenhado em janeiro do ano passado, após um encontro entre o, então, presidente da Associação, prefeito de Ângulo, Rogério Aparecido Bernardo, e o reitor e o vice-reitor da UEM, professores doutores, Júlio César Damasceno e Ricardo Dias Silva, respectivamente. Agora, o atual presidente da Amusep e prefeito de Santa Fém, Fernando Brambilla, dará continuidade para oferecer um levantamento de grande amplitude para que os gestores municipais, com as equipes deles, possam elaborar políticas públicas que promovam o desenvolvimento e consigam ampliar a geração de emprego e renda e melhorar a qualidade de vida da população.

Diagnóstico

Na primeira fase do projeto, os prefeitos foram convidados a responder um questionário, onde foi possível levantar a existência de parques industriais ou de terrenos disponíveis para a instalação de empresas, a infraestrutura de distribuição de energia elétrica, rede de água e esgoto, vagas em creches e escolas, capacidade de atendimento da Saúde, o grau de instrução e capacitação da mão de obra, entre outras. Na segunda fase, este conjunto de dados será refinado e transformado em informações para servir de base para a construção dos indicadores regionais. Também, vão orientar os caminhos a serem seguidos para estabelecer os setores produtivos a serem estudados, com mais profundidade, e para identificar o potencial de atração de investimento e de surgimento de novos negócios.

O professor doutor Julyerme Matheus Tonin, coordenador do Grupo de Estudos sobre Desenvolvimento Regional (GDR), vinculado ao Departamento de Economia da UEM, responsável pelo levantamento de dados e pela elaboração do relatório sobre o Raios-X, destaca que, o primeiro passo, foi elaborar o diagnóstico regional. Agora, a proposta é analisar, traduzir e entender o cenário atual para poder propor onde é possível avançar e quais as melhores rotas a serem percorridas para a expansão dos segmentos de vocação natural ou, então, sugerir novos horizontes para alguns “tesouros” que possam estar adormecidos.

‘Avenida’

De acordo com o reitor da UEM, a etapa inicial do Raios-X reuniu um rico material. “A partir do levantamento, descortina-se uma ‘avenida’ de oportunidades para o surgimento de políticas públicas de longo alcance e de horizonte largo. É um manancial para os prefeitos deixarem um legado único, com tentáculos que vão muito além do universo dos quatro anos de um mandato”, ressalta o professor Júlio. O presidente da Amusep acrescenta que, com a evolução do projeto, os gestores vão ter mecanismos para tomar decisões mais assertivas e promover o progresso. “É um incrível ferramental para a construção de uma ponte sólida para gerar um futuro de prosperidade. Também, consolida um ambiente para os municípios explorarem, ainda mais, a capacidade de conhecimento e de laboratórios instalada na Universidade, nosso grande patrimônio intelectual, tecnológico e de pesquisa”, frisa Brambilla.

Fonte: Claudio Galleti/Assessoria de Imprensa/Amusep
Foto: Divulgação.