Com saldo de quase 16 mil vagas em maio, Paraná lidera geração de empregos no Sul

Saldo em maio foi de 15.884 contratações, resultado de 118.151 admissões e 102.267 desligamentos, ante 13.587 de Santa Catarina e 7.458 do Rio Grande do Sul. Paraná teve também o quarto melhor desempenho do País no período

Com saldo de quase 16 mil vagas em maio, Paraná lidera geração de empregos no Sul Com saldo de quase 16 mil vagas em maio, Paraná lidera geração de empregos no Sul
O Paraná fechou o mês de maio como o estado que mais abriu postos de trabalho com carteira assinada, na Região do Sul
O Paraná fechou maio como o estado que mais abriu postos de trabalho com carteira assinada na Região do Sul. O saldo foi de 15.884 contratações, resultado de 118.151 admissões e 102.267 desligamentos, ante 13.587 de Santa Catarina e 7.458 do Rio Grande do Sul. O resultado representa um aumento de 111,65% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram encerrados pouco mais de 26 mil vínculos no Estado.

É também o quarto melhor desempenho do País no período, atrás apenas São Paulo (104.707 vagas), Minas Gerais (32.009) e Rio de Janeiro (17.610). Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira (1º) pelo Ministério da Economia.

“É um resultado bastante expressivo, que comprova o bom momento econômico pelo qual passa o Paraná. São crescimentos consecutivos durante o ano, mesmo em um momento conturbado, com o foco no controle da pandemia da Covid-19. Reforça também a percepção do mercado de que o Estado é um ótimo lugar para se fazer investimentos”, destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“Com o avanço da vacinação e a retomada gradativa da normalidade, tenho muita confiança de que o Paraná terá um dos melhores anos da sua história na geração de empregos com carteira assinada”, completou.

O saldo positivo de maio é o quinto consecutivo do Estado. Foram, já com os ajustes mensais realizados pelo Caged, 24.342 postos abertos em janeiro; 41.616 em fevereiro; 11.507 em março; e 10.019 em abril. No acumulado do ano, o Paraná criou 103.368 empregos formais, também o quarto melhor desempenho nacional, ficando atrás de São Paulo (389.529), Minas Gerais (159.099) e Santa Catarina (111.514).

Número que salta para 206.572 vagas no acumulado dos últimos 12 meses, desempenho superior ao de toda a Região Norte do País no mesmo período. Somados, Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá e Tocantins tiveram saldo de 149.262 empregos. São Paulo (758.157), Minas Gerais (313.939) e Santa Catarina (222.719) ficaram pouco à frente do Paraná.

“Vemos pelas movimentações nas Agências do Trabalhador de todo o Estado que o clima é de otimismo. Há muitas vagas abertas, o que indica a retomada do crescimento do emprego do Paraná de maneira uniforme em todas as regiões”, disse o secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

CIDADES – Os municípios paranaenses que mais geraram emprego em maio, segundo o Caged, foram Curitiba, com 5.892 novas vagas, seguida de Maringá (1.163), Toledo (853), Araucária (728), Cascavel (650), Umuarama (389), São José dos Pinhais (384), Foz do Iguaçu (252), Paranavaí (214) e Colombo (197).

SETORES – O saldo de empregos no Estado em maio foi puxado pelo setor da Informação, Comunicação e Atividades Financeiras, Imobiliárias, Profissionais e Administrativas, que gerou 4.389 vagas. Foi seguida pelo Comércio, com 3.856 novos postos de trabalho, Indústria (3.482), Administração Pública (1.728), Construção Civil (1.648), Transporte (520), Outras Atividades de Serviços (272) e Agricultura e Pecuária (197).

Apenas os setores de Alojamento e Alimentação e Artes, Cultura, Esporte e Recreação apresentaram desempenho negativo, com 103 e 106 demissões de saldo.

“O Paraná vem mantendo o nível positivo de geração de emprego desde o início do ano, mesmo com as medidas restritivas derivadas do enfrentamento à pandemia. Números que se destacam na Região Sul e também no País como um todo”, afirmou Suelen Glinski, chefe do Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho.

NACIONAL – A geração de empregos no Brasil também demonstra a recuperação da atividade econômica com a abertura de 280.666 vagas de emprego com carteira assinada no quinto mês do ano. O resultado decorreu de 1.548.715 contratações e de 1.268.049 desligamentos.

No acumulado do ano, o saldo também é positivo em 1.233.372 postos. As regiões com melhores desempenhos foram a Sudeste (161.767), Nordeste (37.266), Sul (36.929 postos), Centro-Oeste (26.926) e Norte (17.800 postos). Os setores os que mais se destacaram no período foram Serviços (110.956), Comércio (60.480), Indústria (44.146), Agricultura e Pecuária (42.526) e Construção Civil (22.611).

Fonte: AEN/PR – Foto: Jonathan Campos/AEN.