COVID-19 – Maringá registrou mais de 41 mil casos em janeiro e fevereiro

O número de positivados é quase o total de casos registrados no ano passado (46.228), segundo levantamento feito pelo Observatório Covid Unicesumar/Codem

COVID-19 - Maringá registrou mais de 41 mil casos em janeiro e fevereiro

Boletim divulgado na quinta-feira (3/3), pelo Observatório Covid Unicesumar/Codem, aponta que Maringá já registrou 41.243 casos em janeiro e fevereiro. O número de positivados representa 90% dos casos registrados ao longo do ano passado. Em 2021, foram 46.228.

Entretanto, a média móvel de casos caiu de 1.076,57 para 537,33 entre a primeira e segunda quinzena de fevereiro. A média móvel de óbitos também registrou queda entre as duas quinzenas (de 2,57 para 1,67). Confira o boletim completo.

Porém, é a segunda maior média móvel de óbitos desde agosto de 2021. Os óbitos continuam concentrados em idosos e a idade média permanece acima dos 70 anos desde janeiro deste ano.

COVID-19 - Maringá registrou mais de 41 mil casos em janeiro e fevereiro“Em apenas dois meses deste ano foi registrada quase a mesma quantidade de casos do que em 2021. Felizmente, a variante Ômicron possui menor letalidade. Mas é preciso intensificar as campanhas de sensibilização e busca ativa de pessoas em atraso com a dose reforço da vacina contra Covid-19”, afirma o coordenador do Observatório, Guaracy Silva.

Campanha de Vacinação

Maringá continua se destacando entre as maiores cidades do Paraná na cobertura vacinal contra Covid-19. Entre as maiores cidades do Estado é a que mais aplicou a primeira dose. No entanto, em função de muitos maringaenses que não estão buscando a dose de reforço, Maringá está quase 5% atrás de 86,86% Curitiba (43,87% e 39,08%).

De acordo com o levantamento, são 86,86% da população do município vacinada com pelo menos uma dose, 76,68% com a 2ª dose e 39,08% com a dose reforço.

Sobre o Observatório

O Observatório surgiu em março de 2020 com o propósito de monitorar a pandemia e subsidiar a tomada de decisões por parte de autoridades considerando diferentes interesses como a saúde da população e o impacto na atividade econômica. Representantes da Unicesumar e do Codem se reúnem semanalmente para avaliar e monitorar os indicadores da pandemia.

Além do coordenador Guaracy Silva, participam das análises as professoras Simone Bonafe (médica infectologista), Nancy Ferreira Silva (matemática), Solange Lopes (diretora do Centro de Biológicas e Saúde) e o analista de dados Icaro da Costa Francisco, todos da Unicesumar. Pelo Codem participam os executivos e empresários convidados.

O Observatório também convida para as reuniões representantes da Secretaria Municipal de Inovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação e da Secretaria Municipal de Saúde.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Unicesumar
Imagem: Shutterstock.