Crea-PR fiscalizou mais de 43 mil atividades em 2020

Os pontos em vermelho são as áreas com maior concentração de denúncias em 2020
Presidente do Crea-PR, Engenheiro Civil Ricardo Rocha “Trabalhamos para melhorar a parte organizacional e promover maior integração entre as Câmaras Especializadas”
- “Foram concluídos quase 13 mil processos, de 2019 e 2020. A atuação permitiu 7.085 regularizações e 399 empresas passaram a contar com profissionais habilitados”, relata Mariana Maranhão, Engenheira Ambiental e gerente do Defis.

Com fiscalizações nos 399 municípios e abrangendo todas as modalidades, Conselho pretende reforçar parcerias com órgãos públicos para ampliar ainda mais a assertividade em 2021

Mesmo com a pandemia de Covid-19, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) adotou estratégias para efetuar as fiscalizações, uma das principais atividades-fim da autarquia. O uso de georreferenciamento (coordenadas de GPS) em alguns tipos de Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs) e o cruzamento de informações com bancos de dados de órgãos governamentais foram algumas das ações aliadas do Conselho para elevar a eficácia da fiscalização e combater o exercício ilegal e não ético da profissão e, assim, proteger a sociedade.

Segundo levantamento do Departamento de Fiscalização (Defis) do Crea-PR, em 2020 foram fiscalizadas 43.049 atividades de Engenharia, Agronomia e Geociências, envolvendo serviços de Engenharia prestados nas mais diversas áreas, como inspeções, manutenções, execuções e elaborações de projetos e laudos.

Na busca pelo equilíbrio das fiscalizações entre as modalidades do Sistema Confea/Crea, que somaram 16.257 em 2020 no Estado, a Engenharia Civil respondeu por 37,7% dos relatórios; Agronomia, com 32,1%; Engenharia Mecânica, com 13,4%; Engenharia Elétrica, com 11,6%.

Engenharia Química, Geologia, Engenharia de Minas e Engenharia de Segurança do Trabalho responderam por 5,2% do total. O presidente do Crea-PR, Engenheiro Civil Ricardo Rocha, destaca que a fiscalização tem sido, desde o início, uma das prioridades de sua gestão. “A fiscalização está na essência das funções do Conselho. Trabalhamos para melhorar a parte organizacional e promover maior integração entre as Câmaras Especializadas das Engenharias e o Defis, com interação com as fontes onde se realizam as atividades”, detalha.

Ricardo Rocha destaca também o uso intensivo da tecnologia. “A pandemia nos deixou um aprendizado e acelerou a digitalização dos nossos processos. Estamos utilizando bancos de dados por meio de parcerias com órgãos públicos. A ideia é intensificar as atividades de fiscalização, torná-las ainda mais eficazes e com resultados, por meio do intenso uso de dados e muita tecnologia, o que estamos denominando fiscalização 5.0”, menciona o presidente do Crea-PR.

COMBATE AO EXERCÍCIO ILEGAL

As fiscalizações do ano passado identificaram 11.047 irregularidades, 62% relativas ao exercício ilegal – pessoas físicas ou jurídicas atuando de forma irregular, ou sem habilitação ou sem registro no Conselho. Ao mesmo tempo, houve 7.085 regularizações. “Foram concluídos quase 13 mil processos, de 2019 e 2020. A atuação permitiu 7.085 regularizações e 399 empresas passaram a contar com profissionais habilitados, como estabelece a legislação”, relata Mariana Maranhão, Engenheira Ambiental e gerente do Defis. Mariana também faz alusão ao trabalho relacionado à ética profissional, para verificar se os engenheiros, agrônomos e geocientistas estão atuando de forma adequada.

A Covid-19 ocasionou muitas dificuldades para as equipes de fiscalização. “Mesmo assim, conseguimos alterar o planejamento e trabalhar com foco no combate ao exercício ilegal das profissões relacionadas ao Crea-PR. Buscamos inovar, com uso de inteligência artificial, cruzamento de dados (convênios com a Copel e a Adapar, por exemplo) e dados georreferenciados”, exemplifica Mariana.

A tendência, segundo a gerente do Defis, é a aplicação de um modelo híbrido para 2021, com ampliação de convênios para cruzamento de dados e do uso de tecnologias, para que as equipes atuem onde houver necessidade de verificações presenciais.

NOROESTE

Das 16.257 fiscalizações feitas pelas oito Regionais do Crea-PR em 2020, 3.802 ocorreram na Regional Maringá, que conta com 122 municípios, quase um terço dos 399 municípios paranaenses. Nas microrregiões de Maringá, Cianorte, Campo Mourão, Paranavaí e Umuarama o percentual de identificação do exercício ilegal da Engenharia chegou a 70% (acima da média estadual que foi de 62%). Ao todo, foram 2.095 irregularidades encontradas durante as fiscalizações na Regional Maringá, do Crea-PR.

MODALIDADE/IRREGULARIDADES

Agrimensura – 06
Agronomia – 1.045
Civil – 451
Elétrica – 216
Engª. de Segurança do Trabalho – 25
Geologia/Minas – 10
Mecânica/ Metalúrgica – 200
Química – 44
Segurança do Trabalho – 00
Não informada – 98

Total de Irregularidades – 2.095

O trabalho de 2020 também focou no resultado dos processos. Entre as fiscalizações do ano e dos anos anteriores, foram concluídos 12.956 processos. Como resultado na Regional Maringá tivemos 888 regularizações. “É resultado da atuação efetiva dos fiscais em campo, nas lavouras e no setor produtivo, nas indústrias, saúde, condomínios, obras e serviços na área urbana, entre outros. Com a inovação nos processos, a tendência, cada vez maior, é que os fiscais irão aonde há ausência de profissionais habilitados, o que resulta em otimização e assertividade”, diz Hélio Xavier da Silva Filho, Engenheiro Civil e gerente da Regional Maringá do Crea-PR.

Silva Filho ressalta o esforço de toda a equipe de fiscalização durante a pandemia. “Foi um ano muito difícil. Mas, seguindo todos os protocolos de segurança, e apoiados pelo uso das tecnologias, os fiscais alcançaram resultados compatíveis com os de Regionais com maior volume de profissionais e empresas registrados”, destaca o gerente.

Denúncias de irregularidades

O Crea-PR também recebeu 3.878 denúncias de obras irregulares, empresas sem registro ou sem profissional habilitado e de exercício ilegal da profissão, no ano passado. Na Regional Maringá, foram registradas 403 denúncias no período. “Mesmo na pandemia, todas as denúncias recebidas em 2020 foram atendidas com prioridade e tratadas no menor tempo possível”, completa Silva Filho.

O Crea-PR disponibiliza canais para denúncias:
(creaweb.crea-pr.org.br/webcrea/denuncia/registrar_denuncia.aspx); No aplicativo Crea-PR para smartphones (Android e IOS);
E pelo telefone 0800 041-0067. Não é preciso identificar-se para fazer a denúncia.

Fonte: Jornalista Carina Bernardino/Assessora de Imprensa/Crea-PR
Fotos: Divulgação/Crea-PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *