Livro retrata a história de Américo Dias Ferraz, segundo prefeito de Maringá

Livro A saga do "Caboclo Violeiro", terá lançamento no próximo sábado, 26/9, na Acim.
1956 - Américo Dias Ferraz recebe a chave da cidade.
Américo Dias Ferraz recepciona o então Bispo Dom Jaime Luiz Coelho.
1957 - Américo Dias Ferraz com Dom Jaime Luiz Coelho.
1957 - Residência de Américo Dias Ferraz

 

A saga do “Caboclo Violeiro”, não é apenas uma biografia, mas uma pesquisa sobre a história de Maringá. Assim é o livro dos jornalistas Dirceu Herrero e Donizete Oliveira. Em 224 páginas, os autores revelam fatos que fizeram a história do município. Dividido em cinco partes, na primeira, o livro aborda um tema que repercute até hoje na história política de Maringá.

Na véspera de natal de 1956, o fazendeiro Aníbal Goulart, adversário político de Américo Dias Ferraz, e que dispunha de dezenas de jagunços, mandou seu capanga Santo Ribeiro dar uma surra de guaiaca no prefeito. O crime aconteceu num salão de barbeiro ao lado da então Praça da Rodoviária, que, mais tarde, se chamaria Napoleão Moreira da Silva. Américo fazia a barba quando foi surpreendido por Santo Ribeiro.

O episódio é conhecido e narrado até hoje quando se lembram da administração de Américo Dias Ferraz. Os autores se aprofundaram na pesquisa e trouxeram fatos inéditos. Por exemplo, o toque de recolher que tal confronto gerou na cidade. Reforços policiais de Apucarana e Curitiba vieram a Maringá para acalmar os ânimos dos moradores, que, revoltados queimaram a casa de Aníbal Goulart.

Na sequência, o livro aborda a colonização da região para o leitor se situar no ambiente que acolhera Américo Dias Ferraz. A terceira parte retrata a vida de Américo, que chegou a Maringá sem nada literalmente. Nascido no interior mineiro, ele morava em Presidente Bernardes (SP) e, como muitos, veio tentar a sorte naquela boca de sertão. Ficou milionário, comprando e vendendo café e cereais.

Com a nova condição financeira, lançou-se candidato a prefeito em 1956. Disputou com quatro fortes adversários e venceu. Na Prefeitura, teve vários problemas, inclusive, com a Câmara de Vereadores, que tentou cassá-lo. Por fim, sua derrocada, ao ir à falência e cometer um assassinato.

Um livro para quem quer saber mais sobre a história de Maringá e até do Paraná e do Brasil, pois o café, que transformou a vida de Américo Dias Ferraz, na época, era a força motriz da economia brasileira.

LANÇAMENTO

O lançamento do livro A saga do “Caboclo Violeiro”, dos jornalistas Dirceu Herrero e Donizete Oliveira acontece no próximo sábado (26/09), durante manhã de autógrafos dos autores, entre 9h15 e 12 horas, na sede da Associação Comercial e Empresarial e Maringá – Acim, na rua Basílio Sautchuk, 388, em Maringá.

Fonte: Dirceu Herrero e Donizete Oliveira – Foto-Capa: Sinergia Casa Editorial
Fotos: Patrimônio Histórico do Município de Maringá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *