Novo ranking coloca a UEM entre as melhores do mundo

A Universidade de Maringá é classificada no Subject Ranking 2021, levantamento criterioso e exclusivo que destaca o desempenho de instituições de ensino globais, a partir de áreas específicas do conhecimento

 A Times Higher Education (THE), revista de avaliação da educação superior global, sediada em Londres, na Inglaterra, divulgou o Subject Ranking 2021, que destaca o desempenho de universidades do mundo todo a partir de áreas específicas do conhecimento.

A UEM aparece classificada nas seguintes áreas: saúde e clínica médica, que abrange medicina, odontologia, enfermagem, entre outros cursos; educação, englobando pesquisas relacionadas ao ensino de todas as áreas do conhecimento; ciências da vida, que inclui agricultura, zootecnia, biologia, medicina veterinária, educação física, entre outros; ciências, na qual estão incluídas matemática, estatística, física, química, geologia, ciências da terra e do mar, entre outros; e engenharias.

Na elaboração do Subject Ranking 2021, as tabelas de assuntos específicos seguem os mesmos indicadores de desempenho do World University Rankings 2021, divulgado no dia 2 de setembro e no qual a UEM está ranqueada junto com outras seis instituições de ensino superior do Paraná. Entretanto, a metodologia foi recalculada de acordo com metodologia específica para cada área do conhecimento.

O professor e pesquisador Bruno Montanari Razza, chefe da Divisão de Planos e Informações da Pró-Reitoria de Planejamento, explica que, para ser classificada, uma universidade precisa ter produção científica relevante nas áreas do conhecimento, um bom índice de citações e uma boa reputação acadêmica, esta última avaliada por pesquisa entre pesquisadores do mundo todo.

Em relação ao ano anterior, houve um aumento de cerca de 10% do total de universidades ranqueadas, registrando a entrada de novas instituições de ensino, com destaque para o crescimento das chinesas. “Esse aumento alterou a posição da maior parte das universidades ranqueadas para baixo”, informa Razza, com base nas informações divulgadas pelos organizadores do levantamento. “Assim, é importante destacar que a UEM conseguiu manter a posição nas áreas de Engenharias e Ciências da Saúde, mesmo com o aumento da concorrência”, diz ele, comparando o desempenho do ano passado.

Razza ainda destaca que este ranking é muito criterioso e exclusivo, sendo poucas as universidades brasileiras que são classificadas.

Fonte: Jornalista Tereza Cristina Parizotto/ASC/UEM – Foto/Divulgação/UEM

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *