Prefeitura solicita aos hospitais particulares criação de leitos de UTI Covid-19

A equipe da Força de Trabalho Emergencial da Prefeitura de Maringá deu início na quarta (17), às reuniões com representantes da sociedade civil organizada, começando pelos proprietários e gestores de hospitais privados e planos de saúde locais (foto). No início do encontro o vice-prefeito Edson Scabora explicou as medidas que estão sendo tomadas pela prefeitura para conter o avanço do coronavírus no município, inclusive com apresentação do decreto que será publicado nesta quarta, 17.

Um dos temos do encontro foi a criação de novos leitos por parte dos hospitais privados. Edson Scabora lembrou que o prefeito Ulisses Maia conversou como secretário de Saúde estadual, Beto Preto e este garantiu que Governo do Estado fará o credenciamento e o pagamento para os hospitais interessados em celebrar convênio para implantação dos leitos de UTI exclusivos Covid-19.

O secretário de Governo, Hércules Kotsifas, e o secretário de Saúde, Marcelo Puzzi, reforçaram a importância dos hospitais suspenderem as cirurgias eletivas nesse momento em que a ocupação de leitos está alta. Antônio Carlos Nardi, representante do Hospital Santa Rita, elogiou a iniciativa do encontro e levará aos demais diretores da instituição a solicitação da prefeitura.

A diretora do Hospital Universitário, Elisabete Mítico Kobayashi, declarou que fica mais tranquila com as medidas que estão sendo tomadas pela prefeitura. O diretor-presidente do Hospital e Maternidade Maringá, Daoud Nasser, afirmou que a divisão de responsabilidades é importante. “Além da criação de leitos precisamos do reforço da fiscalização envolvendo prefeitos da região, com auxílio do Judiciário”, disse.

O secretário de Inovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação (Siacom), Marcos Cordiolli, destacou que festas clandestinas e descuido com os cuidados básicos de prevenção são os principais indutores de transmissão da covid-19. “Estamos articulando movimentos que ajudam a educar e conscientizar as pessoas em ações do cotidiano, como o uso de máscara e estimulo à denúncias e identificação de festas e aglomerações”, afirmou Cordiolli. Fiscalizações do Grupo de Gestão Integrada da Prefeitura de Maringá serão intensificadas a partir desta quarta, 17, seguindo o trabalho realizado durante o Carnaval.

As reuniões online seguem durante o dia com gestores de bares e restaurantes, shoppings e supermercados para alinhar estratégias de prevenção ao coronavírus neste momento de aumento na taxa de ocupação dos hospitais.

Força de Trabalho Emergencial

A Prefeitura de Maringá criou uma Força de Trabalho Emergencial que tem se reunido com frequência nos últimos dias para discutir o aumento e a gravidade nos casos de Covid-19 na cidade e no Estado do Paraná. Durante reunião virtual na noite desta terça, 16, o grupo, formado pelo prefeito Ulisses Maia; pelo vice, Edson Scabora; e vários secretários e diretores, tomou várias decisões. Uma delas é o adiamento, para 1º de março, do início das aulas presenciais da rede pública municipal.

Participaram da reunião: Antônio Carlos Nardi (Hospital Santa Rita), Elisabete Mítico Kobayashi (HU e Sociedade Médica), Fabíola Tasca (Diretora do CRM), Alexandre Lima (Rede Cross), Reynaldo José Rafael Brovini (Unimed Maringá), Adelson Gonçalves dos Santos (Chefe da Unidade de Regulação de Leitos da Macro Noroeste), Nelson Bagatini (Hospital Paraná), Jeferson Junior Bopo (Hospital e Maternidade São Marcos), José Pereira (Santa Casa), Luiz Arthur (Hospital do Câncer), Ederlei Alkamin (15ª Regional de Saúde), Ricardo Mello David (Sama), Aparecido Daibs (Hospital Memorial), Maria Emília e Paulo Vecchi Abdala (Hospital Psiquiátrico) e Daoud Nasser (Hospital e Maternidade Maringá).

Fonte: Diretoria de Comunicação/Siacom – Foto: Mileny Melo/PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *