Smart Space fortalece ecossistema de inovação em Maringá

Espaço oferece suporte a alunos e comunidade para criação e estruturação de negócios

Serviço está à disposição dos alunos da UniFCV e comunidade

O Centro Universitário Cidade Verde (UniFCV), com cerca de 30 mil alunos, instituiu o Smart Space, habitat ou ambiente de inovação que tem o objetivo de atender principalmente os estudantes, mas também a comunidade em três frentes: empreendedorismo, observatório da economia criativa e a trabalhabilidade. A iniciativa oferece atendimento gratuito e conta com apoio do Sebrae/PR.

Aberto há cerca de um mês, o espaço aderiu ao Habitats PR de Inovação do Sebrae/PR. Trata-se de um programa que ajuda a organizar ecossistemas de inovação, envolvendo iniciativas que favorecem o intercâmbio de conhecimento e práticas produtivas entre empresas, universidades, instituições, incubadoras e governos com foco na geração de negócios e a promoção do desenvolvimento regional, a partir dos ativos de inovação e setor produtivo.

O Smart Space é uma dessas iniciativas. Segundo a responsável pelo espaço, Camila Chirnev Caobianco, o trabalho é colaborativo entre empreendedores e acadêmicos e já possui um projeto em andamento, o Esperançar. “Muitos alunos estão trabalhando informalmente, pois perderam empregos e enfrentam outros desafios por conta da pandemia. Vamos ajudar a planejar e a formalizar o negócio. De modo geral, estamos trabalhando para auxiliar acadêmicos a se descobrirem como empreendedores”, explica.

Também está disponível para quem procurar atendimento o projeto de mentoria no qual os interessados recebem orientações de professores da instituição. Segundo Camila, 90% dos professores do quadro estão inseridos no mercado, portanto agregam experiências práticas dos direcionamentos.

Estão sendo organizados um projeto de marketing para ajudar os usuários do espaço a alavancar os negócios depois de formalizados, uma feira de produtos para o próximo semestre deste ano e está sendo ampliado o Day One, em que empreendedores de sucesso são convidados para compartilhar sua experiência e inspirar alunos – a agenda terá empreendedores da região e também de nível nacional.

“Temos mais de 300 polos no Brasil e estamos fazendo parceria fora com a Europa e Japão para abrir polos. Então, para 2022, o plano é termos também empreendedores de outros países participando”, complementa Camila.

Enquanto o Smart Space ganha novos projetos, está sendo realizada uma pesquisa para identificar o perfil do corpo discente. “Nos intervalos, alunos vendiam doces, bolos. Outros tinham projetos em outras áreas. Isso nos motivou a pensar em ajudá-los e a criar o espaço. Com a pesquisa, que começou neste fim de maio e vai até agosto, queremos identificar quais são as reais necessidades destes alunos”, conta.

Habitats de inovação

 A diretora de Pós-graduação, pesquisa e extensão da UniFCV, Marcela Bortotti Fávero, destaca que o Smart Space é um conceito de ambiente de inovação, com as ações pensadas nacionalmente. “As ações demandam tecnologias digitais para transmissão, sistemas de projetos para integração de alunos. Rompemos as barreiras do espaço físico para alcançar os alunos em âmbito nacional, com objetivo de que se tornem agentes de transformação do mercado”, diz.

Conforme o consultor do Sebrae/PR, Nickolas Kretzmann, o mundo dos negócios está cada vez mais dinâmico, portanto ter apoio para criar uma empresa faz uma diferença significativa no êxito do projeto.  “Pensando nisso começa o movimento de ambientes de apoio de forma pontual, com promoção de algumas ações. Então o mundo externo começa a respirar esse fenômeno dos ecossistemas e, de forma orquestrada, o leque de opções é ampliado, surgindo os habitats de inovação”, observa.

Habitats ou ambientes de inovação são organismos dentro dos ecossistemas que acolhem e dão suporte aos empreendedores iniciantes, também atraem e retêm mão de obra qualificada, aumentam as chances de sucesso de empresas que estão surgindo, contribuem para a geração de emprego e renda e ajudam a dar vazão aos projetos das instituições de ensino. Entre eles estão incubadoras, aceleradoras, hubs, parques tecnológicos, centros de pesquisa e desenvolvimento, coworkings.

“Nosso papel é levar metodologia e conhecimento para que espaços como o Smart Space atinjam o maior número de empreendedores. Em Maringá, estamos ao lado da EVOA Aceleradora, do Espaço Inovus, na Associação Comercial e Empresarial de Maringá, do Engenium Park, voltado para a construção civil e agora do Smart Space”, comenta o consultor.

No Smart Space o Sebrae/PR vem atuando para auxiliar na estruturação, para democratizar o conteúdo da inovação e para fomentar a criatividade e pensamento voltado para o digital. Entre as primeiras ações está uma voltada para professores, com conteúdo sob o tema “Professor 4.0”, e o Share ID, com interação entre participantes e especialistas. O Sebrae/PR também realiza este ano, junto ao Smart Space, o Startup Garage – a ação de educação empreendedora ajuda acadêmicos no processo de criação e performance de uma startup.

A maior parte das atividades do Smart Space será oferecida remotamente, mas mediante agendamento, acadêmicos e a comunidade externa podem ser atendidos no local para trabalhar no projeto. O endereço é o mesmo do centro universitário na Avenida Horácio Racanello Filho, 5950. O telefone é o (44) 3028-4416 e o e-mail é o [email protected].

Fonte: AgenciaSebrae/PR – Foto: Divulgação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *