Multas do GGI podem se transformar em ações criminais via MP

O Grupo de Gestão Integrada, por meio da Secretaria de Segurança da Prefeitura Municipal, vai enviar nesta segunda-feira (14), a relação de multas e cópias dos autos para a Promotora de Justiça do Ministério Público (MP), Michele Nader. Se o MP entender que existe materialidade e autoria, as pessoas poderão ser representadas criminalmente e responder pessoalmente por suas ações.

Segundo a Promotora de Justiça, o descumprimento das medidas sanitárias pode configurar o delito disposto no art. 268 do Código Penal, que estabelece uma pena de um mês a um ano de detenção, além da multa, para aquele que infringe determinação do poder público destinada a impedir a propagação de doença contagiosa.

A medida é uma forma de endurecimento do resultado das vistorias feitas pelo GGI. “Temos um grande nível de conscientização da população diante da situação triste que vivemos, com a transmissão altíssima do vírus, hospitais lotados e pessoas vindo a óbito, mas, existem aqueles que insistem em burlar o decreto”, explica o secretário de Segurança, Ivan Quartaroli.

“Após analisar os documentos, nós avaliaremos os casos e, eventualmente, podemos distribuir Termos Circunstanciados em face dos envolvidos, adotando criminalmente as medidas cabíveis, inclusive com a deflagração de ação penal nos casos pertinentes”, explica a Promotora Michele Nader.

Fonte: Diretoria de Comunicação –  Foto: Mileny Melo/PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *