UEM fomenta empreendedorismo e inovação na região de Maringá

Desenvolvimento se dá por meio da Incubadora Tecnológica que auxilia e oferece estrutura às empresas incubadas
Helius Engenharia possui placas instaladas no pátio da incubadora. Elas fazem a captação da energia solar

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) por meio da Incubadora Tecnológica de Maringá, que coordena o Parque Tecnológico de Maringá (Maringatech), com sede na universidade, estimula o empreendedorismo, inovação e desenvolvimento na região desde 2000.

Por meio da Incubadora, do Maringatech e de seus vários parceiros, incluindo a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), são ofertados todo o suporte necessário para o desenvolvimento das empresas incubadas como o apoio, desenvolvimento e estruturação de empreendimentos de base tecnológica, em que as empresas têm a oportunidade de passar pelo processo de aceleração, crescimento e exposição a investidores.

Às empresas incubadas são ofertadas oficinas profissionais por meio do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (Profnit), o qual dispõe de suporte na estruturação de ideias, contratos, gestão, além do acompanhamento contínuo, semestralmente, das empresas, abordando vários eixos como inovação, mercado, tecnologia, gestão e pessoas.

“Além dessas oficinas contamos com os programas Powered by InovAtiva, criado para apoiar o desenvolvimento de projetos inovadores voltado para pequenos negócios de notória relevância tecnológica ou socioambiental; e o Garage Advance, que tem parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e aborda a estruturação de uma startup, validação de mercado, canais de venda até banca de investidores, entre outros”, explica o assessor de Inovação Tecnológica da UEM, Marcelo Farid Pereira.

Leonardo Aurelio Varizi é Engenheiro Civil e participa da 1ª edição do Garage Advance com a empresa incubada Helius Engenharia, voltada para soluções sustentáveis com atuação em geração de energia limpa.

Varizi conta que o Garage Advance está auxiliando ele e os sócios, Paulo Lácono Vicentin e Bruno Barreto Murad Junior, a desenvolverem um projeto de criação de um software para gerenciamento de créditos de energia para geração compartilhada nos modelos de consórcios e cooperativas de energias renováveis oferecendo para o cliente final a opção de consumir uma energia limpa e com até 20% de desconto com relação ao faturado pelas distribuidoras convencionais com adesão 100% gratuita, ou seja, sem nenhum investimento inicial ou modificação no local.

“O curso está nos ajudando a estruturar um contrato de convivência da equipe, identificação de problema e solução, identificação de um público-alvo para o nosso serviço/produto, tamanho de mercado, dinâmica de atuação no mercado” explica Varizi.

Empresas no programa de incubação

Mais de 120 empresas já passaram pelo programa de incubação. Hoje são 14 empresas residentes (que ocupam um espaço dentro do prédio da incubadora e já passaram pelo processo de incubação), 19 empresas incubadas residentes (que estão passando pelo processo de incubação), 2 incubadas externas e 2 graduadas associadas (que já passaram pelo processo de incubação e agora têm autonomia para caminharem como empresa).

Nos últimos 3 anos, 21 empresas foram aprovadas no processo de seleção, sendo sete desde o início da pandemia.

Parecerias e programas de fomento

O Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de Maringá (NIT-UEM) criado em 2008, ligado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PPG), também é parceiro da Incubadora na implementação dessas ações.

Com a finalidade de gerir a política institucional de inovação e propriedade intelectual, ele fomenta a inserção da UEM no processo de inovação nacional, colaborando para o desenvolvimento sustentável, a geração de riqueza e a melhoria da qualidade de vida da população, com base na inovação.

Além do mais, promove a proteção do conhecimento gerado na UEM e viabiliza a interação dela com o setor produtivo com vistas a propiciar a transferência de tecnologias, contribuindo com o desenvolvimento tecnológico e social do país.

Por meio do Programa de Iniciação ao Empreendedorismo da UEM, em parceria com a PPG, NIT, Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná (FA), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Incubadora, a universidade oferta 20 bolsas de iniciação ao empreendedorismo dentro do Garage Advance, por exemplo.

Esse programa é voltado à educação empreendedora e à elaboração de projetos de empreendimentos de alunos de graduação e pós-graduação, que tenham ênfase no desenvolvimento de negócios oriundos de trabalhos acadêmicos.

Outro programa ofertado pela UEM desde 2018, e que tem os mesmos parceiros, é o Programa de Mestrado e Doutorado Acadêmico para Inovação (MAI/DAI). O programa busca fortalecer a pesquisa, o empreendedorismo e a inovação nas Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação (ICTs) por meio do envolvimento de estudantes de graduação e pós-graduação em projetos de interesse do setor empresarial.

“Esses projetos são importantes pois transcendem os muros da UEM e ajudam a consolidar uma cultura de inovação e empreendedorismo na nossa universidade”, conclui o diretor de pesquisa da UEM, Ivair Aparecido dos Santos.

Ainda de acordo com Santos, até o momento foram contabilizadas a participação de 13 empresas e a concessão de 15 bolsas de doutorado, 11 de mestrado e 56 de iniciação tecnológica industrial. Os estudantes têm desenvolvido seus trabalhos em pareceria com essas empresas desde então.

Fonte: Camila Cantoia Dorna/ASC/UEM – Fotos: Divulgação/UEM.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *