SINEPE/NOPR Entrega Prêmio de Práticas Inovadoras em Educação

Presidente do Sinepe/NOPR, José Carlos Barbieri (ao centro), reunido com os representantes das instituições de ensino vencedoras do Prêmio Sinepe de Práticas Inovadoras em Educação 2019.
Membros da Comissão Julgadora da primeira edição do Prêmio Sinepe de Práticas Inovadoras em Educação 2019: Silvia Christiane Goya, Giuliana Pinheiro Lenza, Lélia Bariani, Luciano Pereira, Ana Cláudia Pirajá Bandeira, Juliana Franco Afonso, Ana Carolina Ebenau e José Carlos Barbieri, na UniCesumar.
2,5 MILHÕES DE EMPREGOS - O presidente do Sinepe, José Carlos Barbieri, destacou que as escolas privadas geram 2,5 milhões de empregos diretos e atendem mais de 15 milhões de alunos. “Hoje o Estado nos vê como peça fundamental do desenvolvimento. Por isso, surgiu a ideia de reproduzir as práticas inovadoras em educação. Temos que escrever, registrar nossas práticas, mostrar nossos projetos de qualidade, dando voz a professores e alunos”.
Integrante da Comissão Julgadora da primeira edição do Prêmio Sinepe de Práticas Inovadoras em Educação 2019, Ana Cláudia Pirajá Bandeira, Presidente da OAB-Subseção Maringá.
Integrante da Comissão Julgadora da primeira edição do Prêmio Sinepe de Práticas Inovadoras em Educação 2019, Claudia Marchetti Michiura, Superintendente do Shopping Maringá Park, elogiou a qualidade dos projetos e comentou que foi uma honra conhecer ações tão inovadoras.
Membro da Comissão Julgadora da primeira edição do Prêmio Sinepe de Práticas Inovadoras em Educação 2019, Luiz Carlos da Silva, Gerente Regional do Sebrae em Maringá, afirmou que avaliou projetos de “altíssima qualidade” e que, mais importante do que o prêmio “é a possibilidade que as escolas têm de compartilhar suas práticas inovadoras”.
Categoria Educação Infantil: em 1º lugar, com o projeto “Leitura e compreensão da Fábula: O Leão e o Ratinho”, a Escola Saint Helena.
Categoria Educação Infantil: Em 2º lugar, com o projeto “Aulas de Culinária”, a Escola Tuiuti.
Categoria Educação Infantil: Em 3º lugar, com o projeto “Minha Hortinha”, ficou o Colégio São Francisco Xavier.
Na categoria Ensino Fundamental, a Escola Tuiuti foi premiada com o primeiro e segundo lugares. O projeto “Festival de Dança e Teatro” ficou em primeiro e o projeto “Aulas de Robótica” em segundo. Não houve prêmio para o terceiro lugar.
Na categoria Ensino Fundamental, a Escola Tuiuti foi premiada com o primeiro e segundo lugares. O projeto “Festival de Dança e Teatro” ficou em primeiro e o projeto “Aulas de Robótica” em segundo. Não houve prêmio para o terceiro lugar.
Na categoria Ensino Médio, o primeiro lugar ficou com o Colégio Novo Mundo, de Goioerê, com o projeto “Recital Litero-Musical – Século XX”.
Na categoria Ensino Médio, o Colégio Axia ficou com o segundo e terceiros lugares, respectivamente, com os projetos “Arraiaxia” e “Adolescer”.
Na categoria Ensino Médio, o Colégio Axia ficou com o segundo e terceiros lugares, respectivamente, com os projetos “Arraiaxia” e “Adolescer”.
A UniFCV conquistou o 1º lugar na Categoria Ensino Superior com o projeto “Educando e Conscientizando as Novas Gerações para um Mundo Melhor de acordo com os Parâmetros ODS – 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.
O 2º lugar na Categoria Ensino Superior, ficou com a Unicesumar com o projeto “Mentoring Docente”.
Na Categoria Ensino Superior, a UniFCV ficou também com o terceiro lugar com dois projetos empatados: “Integrando Povos” e “Aconselhamento UniFCV”.
Na Categoria Ensino Superior, a UniFCV ficou também com o terceiro lugar com dois projetos empatados: “Integrando Povos” e “Aconselhamento UniFCV”.

Foram entregues nesta sexta-feira, 20 de setembro, os troféus para sete instituições de ensino, vencedoras da primeira edição do Prêmio Sinepe de Práticas Inovadoras em Educação 2019. A premiação foi disputada nas categorias Séries Iniciais, Ensino Fundamental e Educação Superior e direcionadas para projetos que mais impactaram no processo de ensino e aprendizagem.

As instituições vencedoras foram, na categoria Educação Infantil: em 1º lugar, com o projeto “Leitura e compreensão da Fábula: O Leão e o Ratinho”, a Escola Saint Helena; em 2º lugar, com o projeto “Aulas de Culinária”, a Escola Tuiuti; e, em 3º lugar, com o projeto “Minha Hortinha”, ficou o Colégio São Francisco Xavier.

Na categoria Ensino Fundamental, uma instituição, a Escola Tuiuti foi premiada com o primeiro e segundo lugares. O projeto “Festival de Dança e Teatro” ficou em primeiro e o projeto “Aulas de Robótica” em segundo. Não houve prêmio para o terceiro lugar.

Na categoria Ensino Médio, o primeiro lugar ficou com o Colégio Novo Mundo, de Goioerê, com o projeto “Recital Litero-Musical – Século XX”. O Colégio Axia ficou com o segundo e terceiros lugares, respectivamente, com os projetos “Arraiaxia” e “Adolescer”.

A UniFCV conquistou o 1º lugar na Categoria Ensino Superior com o projeto “Educando e Conscientizando as Novas Gerações para um Mundo Melhor de acordo com os Parâmetros ODS – 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”. Em 2º lugar ficou a Unicesumar com o projeto “Mentoring Docente”. E a UniFCV ficou também com o terceiro lugar com dois projetos empatados: “Integrando Povos” e “Aconselhamento UniFCV”.

A comissão julgadora do prêmio foi composta por Alan Rogerio Gaitarosso, Diretor Executivo do Instituto Cultural Ingá; Ana Carolina Ebenau, Co-Fundadora da Orbital Aceleradora; Ana Cláudia Pirajá Bandeira, Presidente da OAB-Subseção Maringá; Claudia Marchetti Michiura, Superintendente do Shopping Maringá Park; Daniela Alessandra Rufato, servidora do Núcleo Regional de Educação; Débora de Mello Gonçales Sant’anna, Pró-Reitora de extensão e Cultura da UEM; Edson Luiz Pereira, Gerente do Patrimônio Histórico e Cultural da Secretaria de Cultura de Maringá; Giuliana Maria Delfino Pinheiro Lenza, Presidente do Observatório Social de Maringá; Juliana Afonso Franco, Diretora do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá; Leila Pêssoa da Costa, Pró-Reitora de Ensino da UEM; Luciano Pereira dos Santos, Chefe do Núcleo Regional de Educação de Maringá; e Luiz Carlos da Silva, Gerente Regional do Sebrae em Maringá.

 2,5 MILHÕES DE EMPREGOS

O presidente do Sinepe, José Carlos Barbieri, destacou que as escolas privadas geram 2,5 milhões de empregos diretos e atendem mais de 15 milhões de alunos. “Hoje o Estado nos vê como peça fundamental do desenvolvimento. Por isso, surgiu a ideia de reproduzir as práticas inovadoras em educação. Temos que escrever, registrar nossas práticas, mostrar nossos projetos de qualidade, dando voz a professores e alunos”.

Entre os jurados, Alan Gaitorosso disse que ficou “impressionado” com o nível dos trabalhos apresentados no Prêmio Práticas Inovadoras. Claudia Michiura também elogiou a qualidade dos projetos e comentou que foi uma honra conhecer ações tão inovadoras. O gerente do Sebrae, Luiz Carlos da Silva afirmou que avaliou projetos de “altíssima qualidade” e que, mais importante do que o prêmio “é a possibilidade que as escolas têm de compartilhar suas práticas inovadoras”.

Os temas propostos estão relacionados à inovação em Sustentabilidade, em Impacto Social sobre os aspectos da saúde, trânsito e inclusão; em Destaque das Atividades Regionais – Cultura/Arte e Atividades Econômicas; Pedagógica; na Relação Família e Escola; e em Gestão Educacional.

A organização foi realizada pelo próprio Sinepe em parceria com a Bariani & Goya Educação, administrada pelas professoras Silvia Goya e Lélia Bariani. A entrega da premiação foi feita na Unicesumar.

OS VENCEDORES

Educação Infantil

1º lugar – Escola Saint Helena
2º lugar – Escola Tuiuti
3º lugar – Colégio São Francisco Xavier

Ensino Fundamental

1º lugar – Escola Tuiuti
2º lugar – Escola Tuiuti

Ensino Médio

1º lugar – Colégio Novo Mundo
2º lugar – Colégio Axia
3º lugar – Colégio Axia

Ensino Superior

1º lugar – UniFCV
2º lugar- Unicesumar
3º lugar – UniFCV (dois projetos)

Texto: Jornalista Dirceu Herrero/RG Comunicação – Fotos: Ivan Amorim/Pólen Imagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *